24 de outubro de 2008

UM POUCO DA HISTÓRIA


“O inimigo avança, retiramos. O inimigo acampa, provocamos. O inimigo cansa, atacamos. O inimigo se retira, perseguimos” - Mao Tsé-Tung (guerrilheiro chinês citado no livro Marketing de Guerra de Al Ries e Trout em 1986)

Jay Conrad Levinson (foto) - esse é o cara! o nosso pai... nosso pai adotivo... o pai do MARKETING DE GUERRILHA.

Pra quem pensa que esse tipo de marketing é recente ou é só uma tendência, está enganado! Jay Conrad falou pela primeira vez sobre esse tipo de marketing em 1984. A proposta de Jay era a de subsidiar pequenos empreendedores com técnicas de marketing, até então, pouco convencionais, por empresas que possuíam limitadas verbas de marketing.

A idéia foi criada a partir de um paralelo traçado com os guerrilheiros vietnamitas. No Vietnã, você tinha um exército guerrilheiro e os Estados Unidos com um poderoso arsenal bélico. Como os vietnamitas iriam vencer os EUA? Com criatividade, é a resposta- trabalhando a convocação, o boca-a-boca, a mídia espontânea, que na maioria das vezes é gerada sem grandes investimentos.

Como discípulos de Jay (apenas Jay para os íntimos), a FRENTE GUERRILHA está sempre fugindo do convencional. Apostando numa forma inovadora e diferenciada de comunicar na cidade de Salvador, estamos preparados para encarar e vencer todas as batalhas.

6 comentários:

Larissa Santiago disse...

bença a paii!!!
adorooo!!

avessodoavesso disse...

o presente é só o reflexo passado... (alguém já disse isso? rs)
saber dos nossos precusrosores é fundamental.

abraços papi
saudades...
hihi
>>

de RR, por Carlos disse...

É verdade em um mercado de trab batido como esse q estamos vivendo aqui em salvador ser diferente e invoador é o caminho... então se estiver nessa direção o sucesso é o seu final... Beijos e sorte na FRENTE

Celine disse...

Coisa linda de Deus, Jay...
rsrs
Pros intimos..

Lindo

Publisher Girl disse...

Adoro marketing de guerrilha, aliás, eu amo marketing!

Nem Li disse...

no meu TCC a gente pensou em varios jeitos de usar marketing de guerrilha. É otimo pra quando não tem muita verba!